‘Estamos em uma época de retrocesso muito grande’

17.04.2017

Revista Cult
Paulo Henrique Pompermaier

Personagem histórica retratada no livro-reportagem Olga (1985), do escritor Fernando Morais, Olga Benário Prestes, esposa do revolucionário comunista Luiz Carlos Prestes, vai ganhar, neste ano, novo estudo que pretende esmiuçar seus últimos anos de vida passados em prisões e campos de concentração nazista, até seu assassinato em 1942.

O projeto é uma iniciativa de sua filha, a historiadora Anita Leocádia Prestes. Baseando-se em quase dois mil documentos inéditos da Gestapo, a polícia nazista, a historiadora acaba de finalizar a obra, que será publicada ainda neste ano pela editora Boitempo.

Os documentos, traduzidos do alemão durante cerca de um ano, estavam na Rússia desde que foram confiscados na tomada da Alemanha nazista pelos soviéticos no final da Segunda Guerra Mundial. A documentação foi digitalizada e disponibilizada na internet pouco tempo antes, iniciativa que encorajou Anita Prestes a escrever uma nova obra sobre a vida da mãe.

“Há muita coisa sobre o comportamento dela. São impressionantes os relatos de como ela enfrenta os nazistas. Fica claro como a Gestapo e as altas autoridades nazistas foram explícitas em afirmar que ela não poderia ser liberta de maneira alguma”, afirma a historiadora, que nasceu em 1936 na uma prisão nazista em que Olga estava detida.

Leia na íntegra a etrevista que Anita Prestes fez para a Revista Cult.